Nossa experiência após um ano de trabalho remoto

Trabalho Remoto Artigos

Nossa experiência após um ano de trabalho remoto

Jason Fried, CEO da Basecamp, diz que, quando pedimos para alguém mencionar um lugar onde consegue estar cem por cento focado, as respostas são variadas. Há quem iria para algum espaço ao ar livre, para uma cafeteria, uma livraria ou a até quem prefira sua própria casa. A resposta para essa pergunta quase nunca é o escritório. Isso mostra que as pessoas são muito diferentes, e exigir que sejamos super eficientes e produtivos estando sempre no mesmo lugar é cruel, principalmente para nós, que trabalhamos com criatividade.

Trabalhar com design exige enxergar o mundo de diversas formas, e estar oito horas por dia (ou mais) entre quatro paredes já não fazia mais sentido para nós. Após várias conversas e planejamentos, em meados de 2017, decidimos que era a hora de realizar um antigo sonho: ter um time distribuído.

Foram alguns meses de testes até decidir que, na verdade, essa era uma excelente ideia. Nós ajustamos nosso modelo de trabalho para que uma equipe cem por cento remota funcionasse sem falhas. Aprimorar nossa comunicação interna foi o ajuste mais importante para que chegássemos aqui, pouco mais de um ano depois, comemorando o sucesso. Com processos mais organizados, conquistamos mais agilidade no atendimento ao cliente e no desenvolvimento dos projetos. Olhando para trás percebemos que, com essa mudança, a nossa dedicação nos projetos cresceu e os resultados, assim como a qualidade de vida, melhoraram. Hoje podemos afirmar com segurança que essa foi uma das decisões mais acertadas da nossa empresa.

Trabalho remoto não é sinônimo de Home Office
O trabalho remoto que praticamos, portanto, é aquele que nos dá a liberdade de trabalhar de onde nos sentimos mais produtivos. Não ter o compromisso diário de estar sempre no mesmo local e horário nos dá a liberdade de estar em contato com aquilo que é mais importante naquele momento: visitar um cliente de outra cidade, passar uma tarde fazendo pesquisa etnográfica e observando comportamentos e tendências para um projeto, ou simplesmente escolher algum lugar para ficar isolado, sem interrupções. Fazer uma imersão completa no universo de nossos clientes é o que garante que o resultado seja sempre o melhor. Essa transformação também nos permitiu explorar projetos individuais, já que ganhamos tempo e liberdade.

Após um ano nesse modelo, encontramos o nosso lugar no mundo, e esse lugar, na verdade, significa não ter um só lugar. Nós mudamos, mas continuamos crescendo e sendo reconhecidos pelo nosso trabalho. Em 2018, ano em que nossa atuação foi integralmente remota, nós conquistamos dois prêmios internacionais. Enxergar a cultura de trabalho tradicional como passado foi o primeiro passo para entender que essa alternativa está cada vez mais perto de se tornar comum. Estamos cada vez mais acessíveis e conectados, muito bem servidos em soluções que permitem a quebra desse paradigma. Além desse cenário tecnológico e globalizado que facilita o trabalho remoto, entendemos, acima de tudo, que estar no escritório nem sempre é sinal de produtividade.

Ser livre para escolher onde trabalhar nos proporciona maior conexão com os problemas a serem resolvidos e nos deixa mais realizados dia após dia. E, convenhamos, não existe resultado de trabalho melhor do que aquele feito por pessoas felizes.

Durante os próximos meses, vamos compartilhar um pouco mais sobre a nossa experiência com o trabalho remoto e estamos abertos para trocar ideias. Você também trabalha nesse modelo ou quer saber mais a respeito? Tem alguma dúvida ou sugestão de temas relacionados? Escreva para nós!

Nos mande uma mensagem,
quem sabe também nos encontramos para um café: